Pato Otaku 09: Assistindo Little Witch Academia (Parte 01)

Ééé

Little Witch Academia foi uma obra que conheci por acaso, procurei por curiosidade, amei por acidente e que agora compartilho por necessidade.

Um coração que acredita é a sua magia

Se você está caindo aqui de paraquedas e nunca ouviu falar sobre Little Witch Academia aqui vai um breve resumo:

A história da animação gira em torno de Kagari Atsuko, mas conhecida por Akko, que quando menina assistiu a um show de magia apresentado pela bruxa Shiny Chariot, o qual o deixou maravilhada. Empolgada pelo que acabara de assistir a pequena Akko decide se tornar bruxa para seguir os passos de Chariot e ingressa na academia de Magia Luna Nova.

 

Little Witch Academia foi a obra de 26 minutos que apresentou o Studio Trigger para o mundo. O projeto foi apresentado no Anime Mirai de 2013 (Evento bancado pelo governo japonês a fim de fomentar a formação de novos animadores japoneses) e se consagrou como um dos vencedores.

Devido ao sucesso, uma segunda obra foi produzida sob o nome de Little Witch Academia: The Enchanted Parade.  Este segundo curta-metragem, que possui 53 minutos de duração, foi financiado por meio de uma campanha no Kickstarter ocorrida em 2013 e que arrecadou mais de 600 mil dólares.

Além dois dois curtas, também foi lançada em 2017 uma série de 25 episódios, mas no post de hoje só comentarei sobre os dois curtas. O resto fica para a parte 2.

Little Witch Academia (2013)

Este primeiro curta, lançado em 2013, funciona como uma sinopse do que vem a ser toda franquia.  Logo após a introdução inicial do passado da protagonista, já somos colocados de frente com a sua vida na academia de magia onde conhecemos o principal ponto alto da obra: Seus personagens carismáticos e como eles interagem bem.

A protagonista possui um jeito  inocente e sonhador, mais extremamente impulsivo o que a faz na maioria das vezes, apesar das boas intenções, tomar decisões que levam à problemas. Já Lotte, uma tímida menina de óculos, é quase seu extremo oposto. Introvertida e ajuizada, frequentemente nota muito antes que as decisões de Akko podem terminar mal, mas por ter dificuldade de se impor embarca em suas loucuras a contragosto.

E temos Sucy, que na minha humilde opinião é a personagem mais divertida do grupo principal. Aparenta estar ali somente pra fazer o circo pegar fogo. Gosta de fazer experiências com suas poções e nem exita em fazer de Akko a sua cobaia (na maioria das vezes só pela diversão).  Mas apesar de aparentar ser mentalmente caótica, é talvez a personagem mais estável emocionalmente percebendo com facilidade o sentimento de suas amigas, e sempre as ajuda com as palavras certas nos momentos de dificuldade.

Além do Núcleo principal somos apresentados neste primeiro filme a Diana Cavendish, uma típica aluna exemplar muito ligada as tradições e com um grande senso de responsabilidade. Inicialmente aparenta que será uma oposição forte a forma de como Akko conduz as coisas.

Após as apresentações, acompanhamos as personagens em sua vida pela academia, até o momento em que é dada a elas a tarefa de realizar uma caça ao tesouro. A caça termina mal, mas é graças a isso que podemos ver as meninas em ação.

Uma obra muito divertida, ao ponto que você nem verá o tempo passar. Tem na Netflix.

Little Witch Academia: The Enchanted Parade (2015)

Nesta segunda obra vemos o trio de protagonistas em dificuldades por (novamente) terem causado algum problema em Luna Nova. Akko, Lotte e Sucy, são chamadas a direção da escola juntamente com outras 3 alunas-problemas: Amanda , aluna que possui o costume de roubar artefatos mágicos e detentora de grandes habilidade físicas; Conztanze, uma menina pequena e silenciosa que tem uma predileção por misturar tecnologia e magia, mesmo isto aparentemente não sendo bem aceito e Jasminka que possui uma compulsão por comida é tão grande que chega ao ponto de usar magia para não parar de comer.

O sexteto problemático recebe como punição a incumbência de organizar um festival que ocorre anualmente em uma cidade próxima a academia de Luna Nova. O festival que tem como objetivo lembrar o passado das bruxas, acaba sendo na verdade uma forma de humilhar e caçoar elas, o que revolta Akko. A protagonista então decide transformar o festival em uma grande celebração, mas obviamente ela não faria isso sem causar ainda mais problemas.

Little Witch Academia: The Enchanted Parade, não perde em nada para seu antecessor, pelo contrário, ele apresenta novos personagens interessantes e aprofunda ainda mais a relação existente entre o trio principal. Assim como seu antecessor, eu recomendo e tem na Netflix.

Uma animação brilhante

Os dois curtas metragens contam com um desempenho bem acima da média da indústria no conceito fluidez, o que é uma característica bem conhecida do Studio Trigger. As cenas de ação conseguem empolgar e o design dos personagens apesar de simples, é bonito e carismático. Ambas as histórias tem uma pegada infanto-juvenil, mas nem por isso não deixam de ser uma ótima recomendação para todas as idades.

Se duvida, assista e decida por conta própria. Te garanto que valerá a pena. Ah, e futuramente faremos uma parte 2 para falar da série de TV. Aguarde.

 

Até a próxima…

Quééé…

Compartilhar agrega valor...Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone